A origem do território de Monte Redondo tem mais de meio milénio, existindo registos de, em 1258, São Bartolomeu de Monte Redondo ser citada como uma das igrejas pertencentes ao bispado de Tui. Mais tarde, em 1444, D. João I conseguiu a aceitação do Papa, para que este território passasse a pertencer ao bispado de Ceuta e, dependendo dos registos, é sabido que a antiguidade deste território está indubitavelmente relacionada com a religião cristã e com o seu domínio milenar sob a Península Ibérica.

São vários os registos que confirmam a existência e a antiguidade deste território e, portanto, Monte Redondo terá já pertencido à Comarca Eclesiástia de Valença do Minho, em 1580, e posteriormente ao visconde de Vila Nova de Cerveira.

São Bartolomeu

Mais tarde, segundo alguns autores, antes da criação da paróquia de São Paio dos Arcos de Valdevez, em meados do século XVI, os seus fregueses pertenciam à igreja de Monte Redondo.

No que respeita a termos administrativos , esta freguesia fez parte, em 1839, da comarca de Ponte de Lima e, em 1852, finalmente da de Arcos de Valdevez.

Na atualidade, Monte Redondo é uma das mais antigas freguesias do concelho de Arcos de Valdevez, com cerca de 227 habitantes e 351 eleitores, vivendo a maioria da população de atividades económicas relacionadas com a agricultura e a construção civil..

Como atrações, possui anualmente as festas e romarias de Santo Amaro, Senhora da Cabeça e S. Brás (em Janeiro), e a festa da Senhora de Fátima (em Agosto).